domingo, 15 de maio de 2011

Condições e Técnicas Necessárias para o Cultivo da Laranja

Condições

As condições ideais para o cultivo da laranja estão listadas a seguir. Estas são necessárias porque o clima e o solo influem diretamente na qualidade do fruto (maturação, quantidade de frutos, etc.). A laranja deve ser cultivada em locais cuja temperatura varie entre 22° e 33°C, com média anual em torno de 25°C; o ideal anual de chuva é cerca de 1200 mm bem distribuídos durante o ano, sendo que o déficit hídrico deve ser corrigido com irrigação artificial e a umidade do ar deve estar em torno de 80%. Geralmente começa-se o plantio depois do período de seca, embora a laranja se desenvolva em qualquer período do ano.

Os solos mais recomendados para o cultivo são os areno-argilosos e argilosos porosos profundos bem drenados, em que o pH deve estar entre 6,0 e 6,5. Se possível, deve-se enviar uma amostra de solo a um laboratório para análise com 150 dias antes de iniciar o plantio, para dicas de adubação e corretivo.

O solo estará pronto para iniciar a plantação depois de passar por diversos processos, como: desmatamento, destoca (limpeza da área), queima, controle de formigas e cupins, aplicação de corretivos, aração (permite o arejamento do solo) e gradagens (processo posterior à aração). Dependendo da extensão do terreno, a destoca precisa ser efetuada de 2 a 5 anos.
Para correção do solo, O corretivo utilizado (calcário dolomítico) para correção de pH deve ser repartido em duas doses: a primeira antes da aração, e a segunda antes da primeira gradeagem. Estas aplicações devem ocorrer entre 60 a 90 dias antes do começo do plantio.

Para dar início a uma plantação, a muda da fruta deve ser obtida de viveiristas credenciados por órgãos oficiais. A ela, deve-se aplicar a técnica de enxertia a 20 cm de altura do solo, com 3 a 4 ramos a 60 cm espaçados entre si e em espiral em torno do caule, para permitir a formação da copa. No transporte da muda, suas raízes devem estar barreadas.
A lavoura deve se encontrar num local cujo terreno seja plano, sendo que a declividade não supere 5%. Nestes locais, o plantio deve ser retangular. As covas devem ter dimensões 60 cm x 60 cm x 60 cm, em que a abertura deve ser feita pelo menos 30 dias antes do início do plantio. Se não houver recomendação de correção do solo, deve-se colocar 1 Kg de calcário domolítico  no fundo da cova e cobrir com terra, colocar  200 g de superfosfato simples, 15-20 litros de esterco de curral curtido à terra separada e lançar na cova.
É recomendado começar o plantio em dias de chuva ou com auxílio de irrigação. Se tratando de irrigação, são preferíveis dias nublados e com baixa temperatura. No plantio, o espaço entre as raízes deve ser preenchido com terra e estas devem estar esticadas. Coloca-se capim seco em volta da muda plantada recentemente. É necessária a preservação do solo ao que se refere
à diminuição de movimentação do solo, o que proporciona maior disponibilidade de água para as plantas e menor possibilidade de compactação do solo. A cobertura do solo também é necessária para melhor aproveitamento deste. A cobertura permite a redução dos efeitos negativos causados pela chuva, a incorporação de matéria orgânica e nutrientes, etc.
O tráfego de máquinas no pomar deve ser minimizado para que não ocorra a compactação nem deformação do solo.

Manejo de cobertura do solo: controla o processo de erosão e melhora as condições biológicas do solo. É recomendável que deixe crescer mato no plantio de laranja, desde que este seja roçado baixo, uma vez que reduz o efeito da compactação e do impacto das gotas da chuva.

Herbicidas: A aplicação de herbicida nos pomares pode ser realizada por pulverizadores tratorizados e não tratorizados. No primeiro caso, uma barra aplicadora própria para laranja é acoplada ao trator, equipada com bicos em leque 110.01 (cor laranja) e um bico TK 0,5 na sua extremidade para fazer o acabamento próximo ao tronco das laranjeiras.

Em pomares adultos e em formação (1 a 2 anos), recomenda-se, quando necessário, subsolar o solo nas entrelinhas dos citros o mais profundo possível (60 a 70cm) para reduzir a compactação e o adensamento. Deve-se respeitar uma distância de 0,50 m para fora da copa. A subsolagem deve ser efetuada logo após as primeiras chuvas de inverno, evitando solos extremamente secos ou úmidos até a camada a ser trabalhada.

Manutenção e Tratos culturais: Deve-se eliminar brotações que se apresentem abaixo do ponto de enxertia, notado nos primeiros 2 anos de vida; podar ramos secos, doentes, ramos ladrões vegetativos; efetuar limpeza do tronco e ramos grossos (com escova) caiando em seguida com calda bordalesa a 3% (solução de cal e sulfato de cobre usada contra bactérias e fungos); capinar, nas ruas de plantio e na época seca; em coroamento sob copa da planta, capinar com enxada (época seca) ou com foice ou estrovenga no período chuvoso; se possível, plantar leguminosas (mangalô, feijão-de-corda, feijão-de-porco) nas ruas.

Adubação: A deficiência de zinco e manganês é corrigida com aplicações em pulverização foliar, com solução contendo 300 g de sulfato de zinco e 300 g de sulfato de manganês em 100 litros de água.
Caso não haja recomendação de adubo por parte de laboratório, recomenda-se seguir os adubos apresentados na Tabela 1. É preferível aplicar estas quantidades depois do início do período chuvoso e antes do seu fim.
Tabela 1 - Adubação de Laranjeira (por pé)


Ano
Início das chuvas
Fim das chuvas

Esterco Ureia S.S (1) KCl (2)
Ureia KCl (2)
20 l 100g 200g -
100g -
25 l 150g 300g -
150g -
30 l 200g 400g 40g
200g 40g
30 l 250g 500g 200g
250g 200g
35 l 250g 500g 200g
250g 200g
35 l 350g 650g 250g
300g 200g
40 l 350g 650g 250g
300g 200g
9º(3)
45 l 500g 1000g 300g
500g 250g
(1) Superfosfato Simples
(2) Cloreto de Potássio
(3) Em diante

É recomendável trabalhar com culturas intercaladas (amendoim, batata-doce, inhame, etc.), que são de baixo porte e breve duração; o limite entre o plantio de laranja e o plantio de outra variedade deve ficar a 1,5 a 2,0m.
Tratamento Sanitário: Deve-se tomar os cuidados necessários para que o  equilibrio populacional entre pragas x inimigos naturais seja atingido; verificar a presença de pragas, grau de infestação, presença de inimigos aplicações de químicos em focos, período do dia a efetuar tratamento, etc. Estes processos são essenciais para o controle de pragas  e doenças.
Podas: A poda tem como objetivo formar a estrutura de sustentação da planta, evitar a quebra dos ramos e torna-la mais equilibrada. Deve-se efetuar a poda logo após o início do plantio. A poda também pode ser utilizada como limpeza, para tirar galhos doentes ou secos. Também há a pode de rejuvenescimento, que pode ser usada em pomares velhos.
Colheita: deve-se evitar machucar o fruto ou romper a sua casca; durante a colheita: usar escada, sacolas de colheita (de lona, com fundo falso) com capacidade de 20Kg., tesoura ou alicate de colheita, (lâminas curtas e pontas arredondadas) e cestos ou caixas plásticas com capacidade de 27Kg; evitar frutos orvalhados e molhados, colher frutos no mesmo estágio de maturação, evitar exposição ao sol, evitar derrubar frutos ao solo.

Técnicas para melhoramento

Para o melhoramento do cultivo de laranja, o estado de São Paulo e a Flórida, que são concorrentes no mercado, se uniram e vêm trabalhando juntos para aprimorar as técnicas aplicadas no plantio.  Estes dois estados trabalhavam separadamente em sistemas que melhoravam a metodologia com o uso de imagens de satélite para contar os pés de laranja, até que resolveram se unir para desenvolver um sistema para estimar a produtividade das atividades de citros.
O sistema brasileiro foi desenvolvido em parceria com a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) e o Centro de Pesquisas Meteorológicas e Climáticas aplicadas à Agricultura (Cepagri) da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).  Este sistema consiste na técnica de geoprocessamento* que está em desenvolvimento, faz um levantamento do número de pés de laranja com o auxílio de imagens de satélite. A metodologia também fornece dados climáticos e identifica a espécie da planta e a produtividade do último ano.
Já o sistema dos Estados Unidos foi desenvolvido no Centro de Educação e Pesquisa em Citros da Universidade da Flórida, em parceria com a Nasa. A diferença é que a metodologia que faz a contagem dos pés de laranja é baseada em um sistema proprietário de geoprocessamento, que não é adaptado para a utilização específica em laranjais.

*Geoprocessamento: processo que utiliza técnicas matemáticas e computacionais para o tratamento de informações geográficas.


Fontes: 

http://www.seagri.ba.gov.br/Laranja.htm#Plantio

http://sistemasdeproducao.cnptia.embrapa.br/FontesHTML/Citros/CitrosBahia_2ed/tratosculturais.htm

Nenhum comentário:

Postar um comentário